Como a Daimler avalia o curto, o médio e o longo prazo

O quadro de perspectivas desenhado pela Daimler para o quarto trimestre de 2012 é de grande ‘incerteza’ destaca o informe divulgado ao mercado.

O quadro de perspectivas desenhado pela Daimler para o quarto trimestre de 2012 é de grande ‘incerteza’ destaca o informe divulgado ao mercado na última quarta-feira, 24.

A empresa aponta que um dos fatores cruciais para a recuperação da economia global é uma reversão do quadro de baixo empenho econômico da União Econômica Europeia. A empresa estima que em 2012 a Europa registre a maior queda na venda de veículos dos últimos 20 anos, principalmente nos países do Sul da Europa, como França, Itália e Espanha.

Em relação aos Estados Unidos, a empresa alemã aponta que a nova fase da política monetária expansionista adotada pelo Federal Reserve (FED, o BC dos EUA), deve ter pouco impacto nesta primeira fase, ganhando mais vigor a partir de 2013.

A Daimler aponta ainda ser impossível prever como o resultado da eleição presidencial nos EUA vai influenciar no sentimento dos investidores e dos consumidores.

A empresa destaca que o mercado norte-americano deve fechar 2012 com o mais alto nível de vendas de veículos dos últimos cinco anos: 14 milhões de unidades, idem ao Japão, cujo segmento automotivo deve apresentar expansão de dois dígitos neste ano e ao mercado russo, onde a empresa aponta expansão de 10%.

Para a China, o maior mercado global de caminhões, a Daimler projeta um recuo de até dois dígitos nas vendas neste ano. Para a Índia, os números devem fechar abaixo dos apresentados em 2011.

No caso brasileiro, a Daimler cita o impacto da entrada da tecnologia de motores Euro 5 – desde 01 de janeiro deste ano todos os caminhões e ônibus que saem das linhas de produção no País embutem essa nova tecnologia de baixa emissão de poluentes.

A empresa apurou que até o momento o setor de caminhões no Brasil apresentou recuo médio de 30% nas vendas e aposta que neste quarto trimestre as coisas comecem a melhorar – principalmente devido ao apoio de financiamentos de vendas através do Finame/BNDES. Para o ano, a empresa estima uma retração entre 20% e 25% do mercado local de caminhões.

Os principais números apresentados pela companhia, para cada uma de suas divisões para o quarto trimestre de 2012 são:

*Mercedes-Benz Cars: lucro operacional de 4,4 bilhões de euros;

*Daimler Trucks: lucro operacional de 1,7 bilhão de euros;

*Mercedes-Benz Vans: lucro operacional de 650 milhões de euros;

*Daimler Buses: lucro operacional de 80 milhões de euros;

*Daimler Financial Services: lucro operacional de 1,3 bilhão de euros.

Para o ano fiscal de 2012 a Daimler projeta receitas totais de 110 bilhões de euros e deposita parte da conquista desse desempenho em duas divisões de negócios: de veículos e de caminhões, seja com novos produtos, ampliação da capacidade de produção, desenvolvimento tecnológico e assumiu publicamente que a força de trabalho mundial encerrará em 31 de dezembro de 2012 com número superior ao apresentado em 2011.

Apesar do juramento público, a empresa deixou claro que vai cortar horas extras, vai ajustar a programação de suas linhas de produção à demanda de seus mercados de atuação e reduzirá o número de empregos temporários.

Vale lembrar que a Volvo Car divulgou nesta quinta-feira, 25, que reduzirá a produção de sua linha de veículos na cidade belga de Ghent, e não renovará 300 contratos de empregos temporários que vencem no final deste ano.

A Ford Europa também está propensa a cortar 1,4 mil empregos de suas plantas industriais em Genk (Bélgica) e Southampton (Inglaterra).

Para mais informações, acesse:

Interim Report Q3 2012

Fact Sheet for Q3 andJanuary-September 2012

Destaques

%d blogueiros gostam disto: