Exportações favorecem contratações na fábrica da Scania

O aumento das exportações já levou a Scania do Brasil a contratar aproximadamente 500 funcionários na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, informa o vice-presidente de Logística da Scania Latin America, Marcelo Gallão.

Segundo o executivo, o início das exportações de cabinas para a fábrica da Scania na Holanda, deve elevar ainda mais esse número. “Esperamos ter novos colaboradores até o final de maio e para atender a demanda vamos também aumentar os turnos de produção”, diz.

A Scania é hoje uma plataforma exportadora que serve um total de 30 países na América Latina, Oriente Médio, África e Ásia, mas também registra aumento de pedidos oriundos da Europa. “Esse cenário já permitiu a contratação de colaboradores, aproximadamente 500”, diz Marcelo Gallão.

A estratégia da montadora teve início em 2014, quando vislumbrou um cenário de desaquecimento da economia brasileira. Historicamente, o mercado interno representava 70% da produção da planta do ABC e as exportações 30%. Hoje essa proporção está praticamente invertida.

“Graças a flexibilidade do seu sistema de produção atravessamos a crise e hoje atendemos cerca de 30 países na América Latina, Oriente Médio, África e Ásia”, diz o executivo, que também vê desafios a essa estratégia.

“Pela primeira vez vamos exportar cabinas para a nossa fábrica na Holanda, onde o caminhão será montado. Além de todo o cuidado com a qualidade do produto, a maior preocupação é a garantia do tempo para entrega do veículo para o cliente final”, diz.

Efeito positivo

O súbito aumento da demanda por caminhões na Europa tem favorecido os negócios da filial brasileira, diz o vice-presidente de Logística da Scania Latin America, Marcelo Gallão.

“Nos últimos anos fomos acionados para exportar para países como Rússia, Irã, Malásia e Índia, antes atendidos por linhas da matriz, que agora estão sobrecarregadas.”

O repasse desses contratos está sendo viabilizado pelo fato de a fábrica de São Bernardo ser um espelho da linha de produção da Scania na Suécia.

Esse padrão global de qualidade e de produção vem sendo viabilizado através de investimentos constantes em modernização e atualização da planta industrial brasileira – que receberá até 2020 aporte de R$ 2,6 bilhões.

“Isso faz com que subsidiária tenha uma linha global de produtos para exportar a todos os mercados onde a Scania está presente no mundo – inclusive os mais exigentes”, aponta Marcelo Gallão (foto acima).

Destaques

%d blogueiros gostam disto: