Transportepress.com
Portal de notícias sobre transporte.

Helibrás investe R$ 420 mil em expansão de fábrica em MG

O setor de pneus voltados para o segmento de aviação deve ficar muito atento aos passos que estão sendo dados em Minas Gerais.

O setor de pneus voltados para o segmento de aviação deve ficar muito atento aos passos que estão sendo dados em Minas Gerais.

A Helibras – Helicópteros do Brasil S/A, subsidiária do Grupo Eurocopter, com sede em Itajubá, está com um programa de investimentos da ordem de R$ 420 milhões até 2017 para a expansão de sua fábrica local.

O projeto de ampliação é resultado de um acordo feito em 2008 entre a Helibrás, o Governo de Minas e o Ministério da Defesa. Na ocasião, foi assinado contrato com as Forças Armadas no valor de 1,9 bilhão de euros (R$ 5 bilhões).

Até o final do ano já estarão em operação um total de sete aeronaves para as Forças Armadas – 04 já foram entregues -, sendo previstas outros 50 helicópteros militares, modelo EC725, com capacidade para 30 ocupantes, a serem entregues para a Força Aérea Brasileira (FAB), ao longo dos próximos anos.

Na verdade, o projeto no entorno da Helibrás é muito mais complexo e de longo prazo. Minas Gerais deve se transformar em um complexo aeronáutico que visa a geração de 20 mil empregos nos próximos 15 anos.

O projeto engloba iniciativas em cinco cidades mineiras. São elas, Itajubá, Lagoa Santa, Goianá, Tupaciguara e Confins.

Itajubá já conta com o Centro Tecnológico de Helicópteros, que após as obras de expansão da Helibrás será responsável por possibilitar ao Brasil, num prazo de dez anos, se tornar auto-suficiente na concepção e fabricação de helicópteros com 100% de tecnologia nacional.

Em Tupaciguara, no Triângulo Mineiro, está sendo instalado o Centro de Inovação Aeroespacial da Axis com participação do Instituto de Estudos Avançados do Comando da Aeronáutica e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Lagoa Santa deve sediar o escritório de engenharia da Embraer, que atualmente está no parque tecnológico BH-Tec, e em Goianá, na Zona da Mata, onde está sediado o Aeroporto Itamar Franco, está sendo estudada a possibilidade de oferecer um espaço de logística para o processo de exploração do petróleo do pré-sal.

Já em Confins, a conversão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves na primeira “aerotrópolis” (cidade-aeroporto) do Cone Sul será mais um dos pilares para a fundamentação do complexo aeronáutico.

O conceito de aerotrópolis visa o desenvolvimento do Vetor Norte, que compreende 13 municípios do entorno do aeroporto, com a atração de empresas de alto conteúdo tecnológico, como já ocorreu em alguns lugares, como Cingapura e Dubai.

As informações são da Agência Minas, ligada ao Governo Estadual. As fotos são de Gil Leonardi/Imprensa

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: