Iveco entrega blindado anfíbio ao Exército brasileiro

A Iveco entregou ontem, 12 de junho, as chaves da primeira unidade da pré-série do veículo blindado anfíbio Guarani ao Exército brasileiro.

A Iveco entregou ontem, 12 de junho, as chaves da primeira unidade da pré-série do veículo blindado anfíbio Guarani ao Exército brasileiro.

A entrega foi feita pelo CEO da Iveco, Alfredo Altavilla, durante a Eurosatory, a maior feira de equipamentos de defesa da Europa – que começou dia 11 e termina dia 15, em Paris (França) -, ao General Sinclair James Mayer, chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) do Exército, parceiro da Iveco no desenvolvimento do modelo.

Único veículo produzido no Brasil presente na exposição, o Guarani tem produção prevista de 2.044 unidades dentro dos próximos 20 anos. O modelo será feito em fábrica dedicada, atualmente em construção dentro do complexo industrial da Iveco em Sete Lagoas (MG) e cuja inauguração está prevista para o segundo semestre de 2012.

Segundo informe da empresa, o Exército Brasileiro também confirmou o pedido de desenvolvimento de uma nova versão derivada do modelo básico do Guarani, também conhecido como VBTP, para aplicações na arma da Infantaria (inicialmente, o veículo destina-se a aplicações de Cavalaria).

O pedido prevê a produção de 38 unidades, incluídas no lote de 2.044 previstas no contrato original.

“A entrega do primeiro veículo do lote-piloto é um passo importante dentro do projeto Guarani, um dos maiores contratos para este tipo de veículo hoje no mundo e que totaliza 2 bilhões de euros”, disse o CEO da Iveco.

Segundo ele, esse é um veículo diferenciado, concebido em conjunto com o cliente, com potencial de gerar demanda em muitos mercados mundiais. “O Exército da Argentina já demonstrou interesse pelo modelo”, disse.

“O Guarani faz parte do projeto de relançamento da indústria brasileira de defesa e sua produção no país é fundamental”, explica o General de Exército Sinclair James Mayer.

A Iveco está investindo R$ 55 milhões na construção da unidade produtiva do Guarani dentro do complexo Industrial de Sete Lagoas. A produção seriada começa em 2013, com índice de conteúdo local acima de 60% (incluindo motor, transmissão, chassi e outros componentes made in Brazil).

Quando a fábrica estiver operando em capacidade máxima, a cadeia produtiva deverá envolver, no país, cerca de 110 fornecedores diretos e até 600 fornecedores indiretos.

O Guarani é uma versão base de uma família de veículos de transporte de 18 toneladas, equipada com motor diesel FPT Industrial de 383cv, transmissão automatizada, tração 6×6 e capacidade anfíbia, capaz de transportar 11 militares.

As especificações básicas indicam 6,91 metros de comprimento, 2,7 metros de largura e 2,34 metros de altura. 

O modelo poderá ser equipado com uma torre armada com operação por controle remoto para diversas aplicações diferentes. O modelo pode ser aerotransportado por um avião do tipo Hercules C-130 ou Embraer KC-390.

Destaques

%d blogueiros gostam disto: