Mineração vai precisar de mais pneus e caminhões

As indústrias produtoras de pneus OTR receberam uma excelente notícia por parte do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM): o setor pretende investir US$ 75 bilhões entre 2012 e 2016.

As indústrias produtoras de pneus OTR receberam uma excelente notícia por parte do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM): o setor pretende investir US$ 75 bilhões entre 2012 e 2016.  

Além de mais caminhões, isso também representa mais pneus fora de estrada, o que aumenta ainda mais a demanda por essa linha de produtos, num movimento muito semelhante ao que se verifica nos Estados Unidos e Canadá – e que está levando empresas como a Bridgestone e Michelin a ampliarem investimentos para o aumento de produção. Isso lá fora.  

O aumento da produção de minérios no Brasil leva em conta preços elevados da commodity no cenário internacional, aliado a uma demanda aquecida. O IBRAM também chama a atenção para o atual nível de procura por insumos do gênero por importadores da China.  

Só em minério de ferro, o Brasil produziu 467 milhões de toneladas em 2011, 25% a mais que no ano anterior. Cresceu também a produção de ouro (13%) para 66 toneladas, sendo estimadas 70 toneladas neste ano. Em nióbio, a produção deu salto de 80 milhões de toneladas em 2010 para 90 milhões de toneladas em 2011. 

Em linhas gerais, o IBRAM destaca que a Produção Mineral Brasileira (PMB) bateu recorde em 2011, gerando receitas de US$ 50 bilhões. O segmento tem hoje peso de 3,8% no Produto Interno Bruto brasileiro e em exportações gerou receitas de US$ 38,4 bilhões no ano passado, 30% a mais que no ano anterior.  

As exportações de minério de ferro representaram cerca de 81% das exportações de minérios em 2011.  

A perspectiva do IBRAM é de manutenção da tendência de crescimento. De acordo com o Instituto, espera-se que haja um aumento do valor da PMB de 10% neste ano.  

A Gerdau, décima maior produtora de aço do mundo, pretende investir R$ 838 milhões para elevar sua produção do insumo em 80%, para 11,5 milhões de toneladas anuais. O plano passa por aportes importantes em logística, com investimentos nos modais rodoviário e ferroviário, bem como em um sistema de correia de longa distância, com 9 km de extensão.  

Valem ainda destaques para investimentos programados pela BHP Billiton, de US$ 50 bilhões em projetos que devem ser avalizados em junho, apenas para citar esses exemplos que devem mexer, e muito, com o segmento de caminhões e de pneus.

Destaques

%d blogueiros gostam disto: