Para analistas, vendas da Continental vão superar as da Bridgestone e Michelin

De 30 de dezembro de 2011 a 21 de setembro de 2012, os ativos da Continental apresentavam a maior valorização entre as empresas do segmento, em alta de 73,8%, segundo as ponderações do Índice Dow Jones Stoxx Auto Parts – que no mesmo período apresentava valorização de 26%.

Na semana passada mostramos o comportamento das ações das empresas produtoras de pneus em bolsas de valores e também das principais montadoras de veículos do mundo. 

De 30 de dezembro de 2011 a 21 de setembro de 2012, os ativos da Continental apresentavam a maior valorização entre as empresas do segmento, em alta de 73,8%, segundo as ponderações do Índice Dow Jones Stoxx Auto Parts – que no mesmo período apresentava valorização de 26%. 

O excelente desempenho da Continental em bolsa não se resume apenas à valorização de seus papéis, mas também é a ação que mais polariza os olhares dos analistas de mercado internacionais. 

Ponderações realizadas pela Agência Reuters, uma das maiores e mais respeitada empresa de comunicação do mundo, aponta que as ações da Continental contam hoje com o maior número de recomendações de compra para a composição do portfólio de investimentos. 

Além disso, apresenta ainda uma estimativa de vendas para 2012 e 2013 que supera a maior empresa do mundo no ramo, a Bridgestone. 

Segundo as estimativas da Reuters – parametrizadas junto a analistas de mercado – a Continental deve encerrar 2012 com vendas totais de US$ 42,5 bilhões, acima do que os analistas preveem para a Bridgestone, de vendas da ordem de US$ 40,2 bilhões no mesmo período. 

Das cinco maiores empresas do setor de pneus no mundo, a Continental só perde para a expectativa de crescimento das vendas projetadas para a Pirelli – entre 2012 e 2013. 

Segundo as estimativas alinhadas pelos analistas consultados pela Agência Reuters, em 2013 as vendas totais da Continental devem crescer para US$ 45 bilhões, o que representaria uma evolução de 5,88% sobre a base estimada de 2012. Já as da Pirelli saltariam de US$ 8,2 bilhões neste ano, para US$ 8,9 bilhões em 2013, representando uma alta de 8,70%. 

Se o escopo comparativo for ampliado para as 10 maiores empresa do ramo, a Hankook, ao olhar dos analistas de mercado, terá a maior taxa de expansão em vendas entre 2012 e 2013, de 9,44%, saindo de um potencial projetado de vendas de US$ 6,2 bilhões no exercício fiscal de 2012, para US$ 6,8 bilhões no exercício fiscal de 2013. 

Vale destacar que, assim como a Pirelli, a Hankook e, também, a Michelin estão focando com maior grau de concentração o segmento de pneus Premium na lógica de seus negócios, seja neste ano, seja no raio dos próximos anos. No caso da Hankook,é bom frisar que a entrada em operação de sua nova fábrica na Indonésia será de vital importância para a conquista dos resultados que hoje são parametrizados pelos analistas de mercado. 

As ponderações mostram ainda que a Kumho deve registrar um avanço significativo em seu resultado de vendas, com as projeções apontando US$ 1,9 bilhão neste ano e US$ 2,1 bilhões no ano que vem (alta de 6,46%). 

Para a Michelin e Goodyear, os números também mostram evolução das vendas. Para a empresa francesa as projeções apontam US$ 27,8 bilhões em 2012 e US$ 29,2 bilhões em 2013, ante US$ 22,2 bilhões para as vendas da Goodyear neste ano e de US$ 23,4 bilhões em 2013. 

*Observação: todos os dados constantes nos gráficos são da Agência Reuters.

Destaques

%d blogueiros gostam disto: