Transportepress.com
Portal de notícias sobre transporte.

Paranaguá e Antonina batem recorde de movimentação

De janeiro até a 1ª quinzena de dezembro os dois portos já processaram 44,7 milhões de toneladas entre exportações e importações, montante superior aos 44,6 milhões de toneladas medidas nos 12 meses de 2012.

Paranagua 25 (640x427)Os portos de Paranaguá e Antonina, dois dos principais corredores de exportação e importação de bens e produtos do País, bateram recorde de movimentação em 2013. O balanço parcial feito pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) – até a 1ª quinzena de dezembro -, já mostra marcas superiores a todo o ano de 2012.

De janeiro até a 1ª quinzena de dezembro os dois portos já processaram 44,7 milhões de toneladas entre exportações e importações, montante superior aos 44,6 milhões de toneladas medidas nos 12 meses de 2012.

Em nota ao mercado, o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino, destaca que o resultado foi alcançado mesmo com diversos problemas ocorridos, como os mais de 100 dias parados ao longo no ano por conta das chuvas e os impasses nas definições dos projetos de ampliação dos portos na esfera federal, além das variações cambiais.

“Deixamos de movimentar quase um milhão de toneladas de produtos por conta das paralisações operacionais necessárias para a dragagem. São obstáculos que precisamos vencer agora para estarmos preparados para atender mais uma safra recorde em 2014”, destacou o executivo em nota.

AcucarGranel (640x427)Das 44,7 milhões de toneladas movimentadas até a 1ª quinzena de dezembro, 5,3 milhões de toneladas foram de farelo de soja – 100 mil toneladas a mais do que o registrado em todo o ano de 2012, aponta a Appa.

Outro dado relevante se deu nos embarques de veículos: foram 324 mil unidades movimentadas até a primeira quinzena de dezembro, superando em mais de 100 mil unidades o volume total movimentado em 2012.

“Os fertilizantes também superaram a movimentação do ano passado e com uma importante conquista: foi possível reduzir em mais de 30% o tempo de espera dos navios”, destacou o superintendente em nota.

Segundo ele, os ganhos obtidos neste segmento foram conseguidos através de adequações como a automatização completa do sistema de conferência de cargas que nos trouxeram ganhos de produtividade.

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: