Transportepress.com
Portal de notícias sobre transporte.

PSA Peugeot Citroën investe R$ 1,5 milhão no projeto Biodiesel Brasil

Segundo informe à imprensa divulgado pela PSA Peugeot Citroën, nesta quarta-feira, 13 de junho, o Projeto Biodiesel Brasil teve início em 2003 como resultado da parceria entre a PSA Peugeot Citroën e o Ladetel (Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias Limpas), da Universidade de São Paulo.

Segundo informe à imprensa divulgado pela PSA Peugeot Citroën, nesta quarta-feira, 13 de junho, o Projeto Biodiesel Brasil teve início em 2003 como resultado da parceria entre a PSA Peugeot Citroën e o Ladetel (Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias Limpas), da Universidade de São Paulo. 

Desde então, ele vem evoluindo com novas pesquisas e, em abril de 2011, foi lançada a Fase III do projeto. 

Nesta nova fase, que será reforçada com a integração dos carros com tecnologia HYbrid4, a PSA Peugeot Citroën está investindo R$ 1,5 milhão até 2013. 

O grupo de pesquisa une especialistas do Latin America Tech Center da PSA Peugeot Citroën, engenheiros da matriz e pesquisadores do Ladetel. Já carros de passeio e veículos comerciais leves, todos a diesel, das marcas Peugeot e Citroën são usados nos testes de validação. No total, até hoje, os veículos de testes percorreram mais de 800.000 quilômetros. 

O Projeto Biodiesel Brasil utiliza biodiesel 100% brasileiro, 100% biodegradável e 100% renovável, bem diferente do estudado na Europa, onde o metanol (derivado de petróleo) é usado para a obtenção da reação química que dá origem ao combustível. 

O produto brasileiro é obtido ao término de um processo de transesterificação durante o qual o etanol, extraído da cana-de-açúcar, entra em contato com um óleo vegetal oriundo de uma planta oleaginosa. 

Ele é testado nos veículos das marcas Peugeot e Citroën em uma proporção de 30% de biodiesel e 70% de diesel metropolitano, o chamado B30. Só para lembrar, atualmente, as principais ações de biodiesel no Brasil adotam uma mistura de 2% a 5% de biodiesel (B2 a B5). 

Em um próximo avanço da pesquisa, irá se trabalhar com 100% de biodiesel, sem mistura com diesel normal, o chamado B100. 

As pesquisas contribuem, assim, de forma efetiva para o desenvolvimento do país, já que contemplam as duas grandes questões relacionadas com o biodiesel: o desenvolvimento econômico, com a criação de novas matrizes energéticas, e a inserção social, por serem utilizadas diferentes oleaginosas, algumas delas produzidas em regiões mais carentes do território nacional. Para a PSA Peugeot Citroën, além do legado deixado para os brasileiros, o projeto se enquadra em duas de suas metas mundiais: Globalização e Subida de Gama de seus produtos e tecnologias. 

Fase III: Veículos modernos e um novo tipo de biodiesel 

A Fase III do Projeto Biodiesel Brasil, atualmente em curso, apresenta várias novidades. A começar pelo inédito teste dinâmico de um novo tipo de biodiesel em desenvolvimento pelo Ladetel. Ele é 100% obtido da cana-de-açúcar, sem usar uma planta oleaginosa como referência no processo. 

Neste novo biodiesel, o óleo vegetal retirado de uma oleaginosa, como a soja ou a palma, é substituído por um produto obtido da cana-de-açúcar por meio de processos químicos especiais. 

Ele é usado na transesterificação junto com o etanol também derivado da cana-de-açúcar para gerar o combustível, que, nos testes atuais, é misturado na proporção de 30% ao diesel (a mistura B30) e abastece os veículos de teste. Esta fase contemplará ainda testes com 100% de biodiesel. 

Os testes dinâmicos são realizados por modelos Peugeot 408, Citroën C4 Pallas e Peugeot Boxer, todos produzidos no Mercosul e equipados com motores a diesel.

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: