Transportepress.com
Portal de notícias sobre transporte.

Renovação de frota pode tirar 30 mil caminhões velhos das ruas em 10 anos

Dez entidades ligadas ao setor automotivo, entre elas Anfavea, Fenabrave, Sindipeças, CNT e NTC&Logística, apresentaram nesta segunda-feira, 25, ao Governo Federal, uma proposta para o estabelecimento efetivo de um Programa Nacional de Renovação de Frota.

Dez entidades ligadas ao setor automotivo, entre elas Anfavea, Fenabrave, Sindipeças, CNT e NTC&Logística, apresentaram nesta segunda-feira, 25, ao Governo Federal, uma proposta para o estabelecimento efetivo de um Programa Nacional de Renovação de Frota. 

Em sua primeira etapa o programa tende a atuar na modernização da frota de caminhões antigos, que representam hoje 7% da frota total de veículos.

Apenas nas mãos de caminhoneiros autônomos circulam cerca de 200 veículos com mais de 30 anos rodando por ruas e estradas brasileiras. Segundo o documento apresentado ao governo esses veículos estão envolvidos em 25% dos acidentes graves registrados no País – que em 2012 geraram custos de R$ 4,9 bilhões ao INSS e SUS.

A ideia é que os caminhoneiros tenham oportunidade de negociar o caminhão velho, poluente e inseguro, e adquirir um novo ou seminovo.

O Programa Nacional de Renovação de Frota prevê a substituição de aproximadamente 30 mil unidades por ano, ao longo de 10 anos e deve impactar positivamente na melhoria da qualidade do ar, também.

“Entre um caminhão antigo, com mais de 30 anos, e um moderno, com as mais avançadas tecnologias de controle de poluentes, há uma redução de 87% nas emissões de carbono, 81% nas de hidrocarbonetos, 86% nas de óxido nitroso e 95% de materiais particulados”, destaca o informe das entidades ligadas ao setor automotivo, ao destacar ainda a possibilidade de reciclagem e reaproveitamento de componentes como aço, ferro e resíduos líquidos gerados pelo processo de reaproveitamento de partes e peças dos veículos velhos.

Outro destaque é que “os caminhões novos  – já dentro dos padrões de emissões Proconve P7 – consomem aproximadamente 10% menos diesel que os acima de 30 anos. Como consequência, o Brasil teria uma economia de cerca de R$ 5 bilhões em 10 anos na balança comercial, importando menores quantidades deste combustível”, destaca o informe.

Mais informações podem ser obtidas com as entidades participantes:

ANFAVEA – www.anfavea.com.br

CNT – www.cnt.org.br

FENABRAVE – www.fenabrave.org.br

INESFA – www.inesfa.org.br

INSTITUTO AÇO BRASIL – www.acobrasil.org.br

NTC&LOGÍSTICA – www.portalntc.org.br

SIMEFRE – www.simefre.org.br

SINDINESFA – www.sindinesfa.org.br

SINDIPEÇAS – www.sindipecas.org.br

SMABC – www.smabc.org.br

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: