Vendas da Michelin cedem 5,7%, para € 20,2 bilhões

04 - MICHELIN XTE2 série 70A Michelin, segunda maior empresa produtora de pneus do mundo, encerrou 2013 com vendas líquidas de € 20,247 bilhões (equivalentes a US$ 27,6 bilhões pelo câmbio de hoje), resultado que ficou 5,7% abaixo do apurado em 2012, da ordem de € 21,474 bilhões.

O resultado veio em linha com ponderações feitas por analistas de mercado ouvidos em pesquisa pela Reuters, que previam um resultado final de vendas na faixa de € 20,4 bilhões para a empresa francesa (leia mais emPara analistas Michelin, Goodyear e Pirelli venderam menos em 2013”.

Do resultado apurado pela Michelin em 2013, a soma de € 10,693 bilhões veio de vendas de pneus de passeio e comerciais leves, outros € 6,425 bilhões da venda de pneus para caminhões e ônibus e € 3,129 bilhões das vendas de pneus para aviação, construção civil, mineração e outros.

Todas as divisões da Michelin apresentaram recuo em vendas, sendo baixa de 3,65% para pneus de passeio e comerciais leves, de 4,6% para caminhões e ônibus e 14% para pneus voltados para aplicações especiais (OTR, industriais, aviação e outros).

Apesar disso, a divisão de pneus de passeio e comerciais leves ampliou o lucro operacional em 5,13%, para € 1,086 bilhão e a divisão de pneus para caminhões e ônibus ampliou seu lucro operacional em 13,3%, para € 503 milhões. O revés aqui ficou por conta da divisão de pneus especiais, cujo lucro operacional cedeu 31,8%, para € 645 milhões.

No cômputo final o lucro líquido da Michelin caiu de € 1,571 bilhão em 2012 para € 1,127 bilhão em 2013, refletindo baixa expressiva de 28,3% no período.

Por região

O informe de mercado aponta que o segmento de pneus de passeio e comerciais leves representa 53% dos negócios da empresa, ante 32% dos pneus para caminhões e ônibus – ficando outros 15% para aplicações especiais.

Apesar de o mercado da América do Norte representar 36% das vendas da companhia – a Europa participou com 35% no ano passado, a América do Sul, com especial atenção ao Brasil, foi destaque. Exemplo? A venda de pneus originais para caminhões saltou 40%, ante um incremento de 10% no segmento de reposição. Nenhuma outra região de atuação da Michelin apresentou números tão efusivos. Na Ásia as vendas de pneus originais cresceu 12% e de reposição 5%. Na América do Norte, por exemplo, os dois segmentos fecharam 2013 em queda, de 7% e 2%, respectivamente.

O quadro positivo de vendas na América do Sul também se evidenciou sobre pneus para veículos de passeio e comerciais leves. Aqui as vendas cresceram 5% para pneus originais e 10% para reposição, ante 5% e 6% na Ásia, respectivamente, e 5% nos dois segmentos na América do Norte.

Vale especial atenção ao desempenho registrado no Brasil. Pela primeira vez desde sua entrada no mercado brasileiro, a Michelin comercializou mais de 1,0 milhão de pneus em um único ano, exibindo expansão de vendas de 23%.

É meta da Michelin gerar um retorno sobre o capital empregado (ROCE) de 11% neste ano – ele foi de 11,9% em 2013 – incrementar o volume de vendas em cerca de 3% bem como manter um programa de investimentos de € 2 bilhões no corrente ano. Em 2013, a empresa havia definido um Capex de € 1,980 bilhão.

Investimentos no mundo

Quatro projetos foram mencionados pela Michelin em sua apresentação de dados ao mercado. A ampliação da capacidade de produção de pneus para veículos de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil, na China, na Índia e a consolidação da linha de pneus para mineração nos Estados Unidos.

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: