Inmetro certifica as 11 unidades da RecMAXX no Brasil

“O legado dessa experiência foi muito positivo”, aponta o gerente de Engenharia de Recapagem do Grupo DPaschoal, Eliel Bartels, um dos profissionais que capitaneou o treinamento de 260 colaboradores – em capacitações exclusivas com técnicos do Inmetro.

Eliel Bartels - Gerente de Engenharia de Recapagem - DPaschoal (700x473)A RecMAXX, divisão de reforma de pneus do Grupo DPaschoal, está 100% certificada pelo Inmetro. O programa, que redundou em investimentos de R$ 150 mil sobre as 11 unidades RecMAXX espalhadas pelo País foi árduo, mas seguido à risca pela empresa, líder do mercado nacional – em volume -, com mais de 16 milhões de pneus reformados por ano.

“O legado dessa experiência foi muito positivo”, aponta o gerente de Engenharia de Recapagem do Grupo DPaschoal, Eliel Bartels, um dos profissionais que capitaneou o treinamento de 260 colaboradores – em capacitações exclusivas com técnicos do Inmetro – em um programa que teve a duração de 18 meses, utilizou-se de dois engenheiros dedicados ao tema, além da contratação de serviços de uma consultoria especializada.

“Seguimos todos os passos traçados pelo Inmetro e cumprimos cada um dos pontos da Portaria 444, que em síntese determina pela uniformização de processos e a qualidade do pneu reformado”, relata.

A ação da RecMAX deve ser mesmo comemorada, uma vez que menos de 50% das quase 3 mil empresas que atuam no mercado de reforma de pneus obteve essa certificação.

“Já temos o ISO 9001, a ISO 14001 e a OHSAS 18001, mas faltava o registro de declaração de conformidade de fornecedor, algo que agora temos”, disse Bartels ao relatar que esse trabalho, minucioso, revisou todas as formas de trabalho e operação da rede RecMAXX e padronizou todas as ações da rede.

“A norma é boa e toda a nossa rede agora fala a mesma língua”, aponta Bartels que prevê, porém, mudanças significativas sobre o segmento de reforma de pneus no Brasil.

“Já colhemos bons frutos desse trabalho, mas uma coisa que fica evidente é que ele está redesenhando a indústria de reforma de pneus no Brasil”, diz Bartels ao apresentar o que a RecMAXX espera para o mercado na série dos próximos dois anos.

Em pontos, o impacto da Portaria 444 vai trazer aumento significativo de custos, oriundos da:

1.Necessidade de manutenção do certificado;

2.Aumento exponencial do valor de aluguel;

3.Turnover;

4.Aumento das despesas com transportes;

5.Aumento dos preços de matérias-primas;

6.Atendimento às normas ambientais cada dia mais rígidas.

“Esses cinco pontos vão forçar as empresas a uma série de ações, caso queiram se manter competitivas”, destaca Bartels. Segundo ele, entre as obrigações estão:

1.Substituição de equipamentos obsoletos;

2.Introdução de novas tecnologias de produção;

3.Investimentos continuados em treinamentos;

4.Mudança do layout de produção;

“Em alguns casos sentimos que algumas empresas de reforma vão mudar de cidade, em busca de incentivos fiscais e tributários ou mesmo algo que já está ocorrendo em maior número, processos de fusão entre empresas do ramo visando à busca de economia de escala”, relata.

[youtube height=”500″ width=”820″]http://www.youtube.com/watch?v=i5VF6ujs8EQ[/youtube]

Destaques
error: Conteúdo protegido.
%d blogueiros gostam disto: