Nokian quer fechar 2012 com 1.000 unidades da Vianor

A Nokian Tyres – 18ª maior empresa produtora de pneus do mundo – segue firme para atingir suas metas estratégicas em 2012. Uma delas é a de fechar o ano com 1.000l unidades da rede de revendedores Vianor.

A Nokian Tyres – 18ª maior empresa produtora de pneus do mundo – segue firme para atingir suas metas estratégicas em 2012. Uma delas é a de fechar o ano com 1.000l unidades da rede de revendedores Vianor.

Neste ano já foram abertas 76 novas lojas, com o total da rede chegando a 986 unidades em 24 países, entre eles Finlândia, Suécia, Noruega, Estados Unidos, Suíça e Rússia.

A unidade encerrou o 3T2012 com vendas líquidas de 194 milhões de euros (US$ 251,4 milhões) ou 7,1% mais que as vendas líquidas apuradas no 3T2011, de 181,1 milhões de euros.

Essa foi uma das manifestações apresentadas nesta quarta-feira, 31, pelo presidente e CEO da Nokian Tyres, Kim Gran, durante apresentação do informe de resultados trimestrais da empresa.

O executivo ressaltou também a ampliação da produção em 16% na unidade russa da empresa, mas decidiu cortar volumes de produção na Finlândia, como um processo de adequação à demanda.

Kim Gran deixou claro que ainda pairam nuvens negras no horizonte, com a economia na Europa afetando os negócios locais e impactando os globais. “Clientes estão limitando os riscos na área de distribuição, através da operação com estoques mais baixos”, destacou o executivo em nota.

Segundo ele as vendas de pneus de inverno neste quarto trimestre e a confiança do consumidor serão decisivas para o fechamento das contas em 2012. “Rússia e os mercados do norte da Europa estão apresentando um comportamento saudável e nos oferecem um bom potencial”, disse.

Um dos principais temores apresentados pela Nokian hoje se refere ao mercado de pneus para caminhões. A demanda por pneus novos e recapados, segundo a empresa nórdica, já caiu 24% neste ano, na Europa, sendo recuo de 13% nos países nórdicos e de 11% na Rússia.

“Não ocorreram aumentos de preços significativos, houve redução no custo da matéria-prima, mas o mercado se apresenta muito desafiador. Há muita incerteza em relação à demanda em todos os grupos de produtos para pneus de caminhão”, destaca o informe da companhia finlandesa.

Para mais informações, acesse: Nokian Tyres PLC Interim Report 

Links relacionados: 

Mesmo em ambiente hostil, Nokian vende 19,7% mais no ano

Vendas da Nokian fecham 3º trimestre em alta de 6,3%

 

Destaques

%d blogueiros gostam disto: